Meteoro para quê?

Pode ser uma força de expressão, um desabafo ou mesmo uma reflexão íntima.  Qualquer comentário sobre a falência da humanidade é o mesmo que xingar a própria irmã de filha de chocadeira.

A corrupção e a violência são, geralmente, os motores geradores desse tipo de comentário que às vezes pede um meteoro como solução para a humanidade “que falhou miseravelmente”.  Quem comenta não é um cachorro ou uma girafa, mas uma individuo da espécie humana. Como essa pessoa se encaixa nessa sociedade tão cheia de erros? É uma dúvida que tenho.

As falhas morais e éticas estão estampadas nas diversas camadas da sociedade humana. Elas não são poucas, mas já foram bem maiores. Há 500, 200 anos havia mais corruptos e violentos do que hoje e, mesmo assim, seguimos acertando e errando e aqui estamos nós no meio de uma pandemia.

Desculpem o clichê, mas agora é inevitável: A humanidade somos todos nós que estamos agora no planeta que depende de cada humano para continuar a marcha do progresso. E que fique bem claro, estou falando de evolução moral, pois a intelectual vai muito bem.

As observações sobre os passos supostamente sombrios da humanidade podem ser trocadas por atitudes que possam alterar o caminho para um mundo melhor. Cada um deve fazer a sua parte. Claro, se isso for realmente o que os pessimistas desejam.

Problemas de estimação

Você deve conhecer alguém que tem sempre pronta uma lista de problemas para apresentar e entre os itens alguns que você já ouviu antes. Com toda boa vontade, você se dedica a mostrar as possibilidades de solução para os males apresentados. “Mas, o quê? Você não entendeu nada do que eu disse!”, diz, contrariado, seu amigo reclamão.

Essa é a senha para você saber que desses problemas essa pessoa não quer se livrar. São de estimação.

Deixa quieto.