Valor somos nós quem damos

O quintal da minha casa é um jardim. Tem palmeiras, primaveras, pimenteiras, muitos cactos, uma variedade de plantas cujos nomes desconheço. A alegria desta semana foi acompanhar o desenvolvimento das primeiras jabuticabas, após quase quatro anos de espera.

Essa árvore resistiu ao escavamento frenético do Argus Maximus. Ela chegou aqui sendo uma frágil plantinha e na terceira vez que foi retirada do chão pelo Argus, ficou em três pedaços. Insistente e otimista que sou, plantei novamente, reforcei a proteção contra as brincadeiras caninas e ela seguiu o curso da vida.

Mas hoje eu não consegui proteger a Jabuticabeira. Após uma forte chuva, quando os pássaros fazem festa, plantas e árvores sorriem agradecidas, recebi uma família interessada em comprar a nossa casa, que está à venda.

A mãe da família alegrou-se com o jardim, sorriu com as frutinhas brilhando na Jabuticabeira e espantada ouviu da filha: “Ah, coitada. Ela não vai ficar aí. Nada aqui vai ficar de pé”. Usei automaticamente a máscara de paisagem e nada disse. A moça explicou-se para a mãe: “Isso não me interessa, quero o espaço para uma piscina”.

 

Frutinhas de 10 dias atrás (18/8)

 

A vontade que tive foi de abraçar a Jabuticabeira e dizer a ela que não era verdade, que a dona da casa sou eu e com ela ninguém mexe.

Esse ocorrido me fez refletir que somos nós que damos o valor – seja ao que for. Para mim o “meu” jardim é lindo, é valioso para a casa, dá vida e proporciona bem-estar.  Para mim. Para outras pessoas é apenas um amontoado de plantas, “que dá mosquito”. E elas não estão erradas, a avaliação é dentro da vivência pessoal eu não tenho que convencê-las do contrário.

Jardim é bonito para foto, mas dá trabalho e dá mosquito. Quem está pronto para se dedicar a um jardim? Regar, retirar folhas secas, colocar terra, adubo, mudar da sombra para o sol e vice-versa. Há 10 anos eu não queria saber de nada disso. Hoje é impossível para mim ficar sem plantas, pássaros e vida por perto.

São escolhas que fazemos, mudanças que provocamos.  Todos nós temos uma Jabuticabeira, algo só nosso. O bom disso tudo é que sempre podemos mudar o tratamento que damos a ela e transformar uma pequena planta sem perspectiva em uma grande e frutífera árvore.

Como está sua Jabuticabeira?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *